As ONGs têm fome de Leão. E seus impostos, têm fome de quê?

Veja o texto que Edney Souza postou no LinkedIn a respeito do IOS. Edney é Professor, Consultor de Marketing Digital e tem mais de 100 mil seguidores na plataforma “In”.

 

 

“Faz uns 15 anos conheci um grupo de pessoas com um sonho de ajudar crianças e jovens carentes, esse sonho se tornou uma Organização Social que cresceu e hoje faz diferença na vida de muita gente. Divulgue o texto abaixo e apresente para as pessoas na sua empresa, juntos podemos mudar o futuro de muitos e tornar nossas sociedade um lugar cada vez melhor.

Nascidas com o objetivo de apoiar e dar estrutura a uma causa, ou várias, as Organizações Sociais espalhadas pelo Brasil vivem a difícil missão de conciliar seus propósitos com seus custos. As doações e a participação – cada vez mais vigiada – da iniciativa privada são o alicerce de toda essa estrutura, ainda em tempos de crise.

Porém, essa contribuição pode sair por vias ainda poucos utilizadas pelos empresários: a doação por meio do Imposto de Renda a pagar – o famoso Leão. Esse é, sem dúvida, um dos caminhos mais seguros para destinar o valor gasto com os tributos.

As empresas tributadas pelo lucro real podem doar até 9% do seu imposto de renda a pagar às organizações sociais que possuem projetos incentivados nas esferas municipais, estaduais ou federais, e com isso, abater a doação do imposto de renda devido. Nesse modelo de doação, a empresa não arca com nem um centavo a mais do que já destinaria ao Imposto de Renda. Ou seja, por que não matar a fome das Organizações Sociais com o imposto que sua empresa já tem a pagar?

Até 1% do IR a pagar pode ser doado por meio da lei do FIA – Fundo para a Infância e Adolescência. Simultaneamente, o mesmo percentual pode ser doado por meio da Lei do Idoso, da Lei de Incentivo ao Esporte, do Pronon – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica, do Pronas – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência, ou ainda, 4% por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, totalizando 9% de incentivo fiscal para transformar o nosso país em uma sociedade com mais oportunidades para todos.

Quando a empresa doa este % do IR, ela poderá acompanhar a Organização Social executora de perto, exigindo transparência e credibilidade, do início ao fim do processo, garantindo assim que o seu dinheiro foi muito melhor utilizado para criar um impacto social. A mesma garantia não temos hoje, dos tributos que seguem para os cofres públicos, não é mesmo?

O canal de doação pode ser bastante relevante para as Organizações Sociais. Por exemplo, só em 2016, doações com esse perfil representaram cerca de 30% dos recursos do IOS – Instituto da Oportunidade Social, OSCIP que há 19 anos está comprometida com a capacitação profissional e empregabilidade de adolescentes, jovens e pessoas com deficiência.

A partir desse modelo de captação, o IOS transformou seus recursos do período em 2.432 vagas no Programa IOS de Capacitação Profissional, com uma taxa de ocupação das salas de aula que saltou de 93% em 2015 para 106% em 2016, otimizando a infraestrutura investida pelos patrocinadores. Além disso, em 2016 o IOS apoiou a empregabilidade de 860 alunos, que por sua vez, ao conquistarem uma oportunidade formal no mercado, ampliaram em mais de 45% a renda de suas famílias – resultado que demonstra o aumento do lucro social da Organização.

Hoje o IOS tem 9 projetos aprovados e busca empresas que possam destinar seu imposto de renda devido para a viabilização de cada um deles. O processo é simples e é possível escolher a entidade a ser beneficiada no momento da doação. (clique aqui para o passo-a-passo)

Por que não transformar seu imposto em investimentos diretos em educação e crescimento desse País? Ainda está em tempo de doar. As empresas têm até 29 de dezembro para realizar o processo.

Nós, ONGs e OSCIPs, temos fome de educar, de capacitar, de orientar, e de transformar o futuro de adolescentes, jovens e pessoas com deficiência. Ainda acreditamos – em meio a tantos desencontros – que não há outro caminho mais seguro, barato e rápido para o crescimento – de todos os ângulos – de uma nação se não for pela Educação dos nossos jovens, e no nosso caso, acompanhada da inclusão! Com uma melhoria na educação, com certeza os profissionais no mercado de trabalho também ampliarão essa cadeia de melhores soluções para nossos desafios.”

Quer saber mais sobre o Edney? Visite seu perfil no LinkedIn.

Este post não contém tags.
Compartilhe: