Formar jovens para a área de TI é tornar-se agente de transformação social

Por Celso Sato, CEO da Accestage

Por que os jovens não chegam na oportunidade profissional?

Essa questão é tão perturbadora quanto verdadeira. Hoje, a área de TI no Brasil convive com cerca de 400 mil vagas abertas, sem profissionais qualificados para ocupá-las. Isso, em um Brasil com mais de 12 milhões de pessoas desempregadas, sendo o público jovem a parcela mais afetada dessa dura realidade.

Para quem convive com essa discrepância está cada vez mais claro que inserir jovens para atender à essa demanda é o caminho mais coerente e sustentável para diminuir esse “gap”.

O jovem já nasce pronto para aceitar e conviver com a tecnologia. Ele só precisa da nossa ajuda para entender que toda essa tecnologia está acessível, é universal, é global e pode transformar suas perspectivas profissionais e pessoais.

Participar da formação desses profissionais é transferir conhecimento para que eles possam mudar a rota de suas vidas. A educação será o motor do Brasil e não há outro caminho mais eficaz para a retomada do crescimento do país.

Nessas buscas por participar da formação de jovens, o IOS – Instituto da Oportunidade Social, uma instituição ligada à TOTVS nos apresentou um formato muito consistente que combina a qualificação de jovens com a inserção no primeiro emprego.

Além da formação técnica, o IOS busca colocar esses jovens no mercado de trabalho, algo que aumenta a renda de suas famílias em 43%.

Esses ingredientes são visíveis nos jovens que chegam até nós pelas mãos do IOS. São movidos por uma nova visão de futuro, de oportunidade, que antes suas realidades não alcançavam.

A maior qualidade que trazem é a “atitude do querer”. Eles têm vontade, empenho, e de verdade, esperamos deles muito mais “o querer” do que o “saber”.

Nossa relação com o IOS já soma bons anos e a experiência de trazer esses jovens “cheios de querer” para as empresas onde trabalhamos nos faz agentes de uma transformação social e que começa na educação.

Se cada CEO, executivo de TI, encarar o tema como parte da estratégia de crescimento dessa área, teremos cada vez mais profissionais de qualidade, que refletem valores inegociáveis, como ética, empreendedorismo, ensinar e aprender.

 

Foto: Rodrigo Rodrigues

Este post não contém tags.
Compartilhe: