O papel cidadão do conhecimento em TI

Por Leonardo Kenji Shikida, especialista em TI da IBM

A transferência de conhecimento é uma atitude que pode mudar e inspirar trajetória de vidas. Esse é o melhor fruto que um profissional pode colher de suas experiências profissionais. Na IBM, nós funcionários, somos incentivados a participar de iniciativas que, ao mesmo tempo que difunde a imagem da empresa, também nos transforma como cidadãos.

Essa ação nos permite conhecer de perto e participar de projetos sociais apoiados pela própria IBM como, por exemplo, o trabalIMG_0005ho do Instituto da Oportunidade Social (IOS).

A instituição se destina a formar jovens em e pessoas com deficiência para atuarem no mercado de trabalho, principalmente na área de TI. O projeto acontece graças à parceria do IOS com diversas empresas, como a própria IBM.

Um passo muito mais simples do que se imagina, transferir conhecimento não demanda nada mais que umas poucas horas do seu ano para uma conversa conectada com a realidade desses jovens e que se aprofunde nas tendências, na importância e nas perspectivas que poderão trilhar na carreira.

Há cinco anos tive minha primeira experiência nessa iniciativa e palestrei sobre Inteligência Artificial para esses jovens de 16 a 18 anos, um tema ainda distante da realidade na ocasião. Hoje o tema já é mais comum e posso passar a eles uma visão mais madura e realista. Falo do estado da arte e da empregabilidade que a IA pode oferecer.

A forma mais acertada de conectar o tema com a realidade deles é falar sobre como a Tecnologia muda a situação de empregos e ajuda a apontar as melhores escolhas profissionais para o futuro. Também falamos de como a tecnologia vai se incorporar às outras profissões, por exemplo, além de poder contribuir para o TCC (trabalho de conclusão de curso) que eles precisam realizar para finalizar o curso.

A estrutura completa que o IOS oferece a eles, com conteúdo atualizado e professores bem qualificados permite um acompanhamento completo de cada aluno desde o curso até quando já estão empregados no mercado. Isso é importante para nos motivar a continuar nessa jornada sólida e consistente.

O mais importante é poder contribuir para quebrar barreiras de medos e inseguranças que todo o início de trajetória profissional impõe. É poder participar de uma certificação que, nessa fase, serve como passaporte para uma grande estreia no mercado de trabalho. Mas, principalmente, é ajudar a mudar uma realidade que nem sempre é carente apenas de educação, mas de estrutura e incentivo para escrever a própria história de forma diferente da sua realidade familiar.

Mais que uma ação voluntária para ajudar ao próximo, é uma ação que também nos completa como profissionais e, principalmente, como cidadãos. Quando nos dispomos a realizar uma ação social voluntária, mesmo com toda a expectativa é ver crescer os resultados da ação, nos damos conta que o maior resultado e transformação aconteceu dentro de nós mesmos. Doar seu tempo para transferir conhecimento não tem custo. É um investimento – a longo prazo – em dias melhores para o seu mercado e para o futuro da humanidade!

Leonardo IBMLeonardo Kenji Shikida é especialista em Tecnologia da Informação na IBM. Com 20 anos de experiência no mercado é formação na Universidade Federal de Minas Gerais em Ciências da Computação e pós-graduado em Marketing pela Ibmec.

Este post não contém tags.
Compartilhe: