Também é missão de um executivo: Ajudar a formar talentos para as empresas, mudando vidas e a comunidade como um todo

Por Marco Cafasso, CEO da TOTVS Rio de Janeiro e Novos Negócios

De acordo com as estimativas do The Network Skills in Latin America para 2019, o Brasil está entre os 10 maiores mercados de TI do mundo, mas com um déficit de profissionais qualificados para atender a demanda de 161,5 mil vagas de tecnologia. Temos vagas, mas faltam profissionais devidamente qualificados para preenchê-las.

Foto reprodução: Rodrigo Rodrigues

Foto reprodução: Rodrigo Rodrigues

Olhando para esses números, fica claro entender que a inclusão é o caminho para diminuir esse gap. Há cerca de três anos e meio, quando assumi a direção da TOTVS no Rio de Janeiro, conheci de perto uma iniciativa da empresa pelo seu braço de responsabilidade social, o IOS – Instituto da Oportunidade Social – que me fez pensar em inclusão de jovens no mercado de trabalho não apenas como solução para o mercado de TI, mas principalmente, como uma saída para restabelecer o crescimento de uma região, como o Rio de Janeiro, que vive há pelo menos duas décadas um colapso político, econômico e social.

O IOS forma jovens da rede pública de ensino e pessoas com deficiência, por meio de cursos gratuitos em diversas unidades no País. Em 21 anos de atuação, já formou mais de 34 mil profissionais para atuarem nos setores de Tecnologia da Informação, Administração, RH e Atendimento ao Varejo.

Mais que formar, essa ONG mantida pela TOTVS e por outras grandes empresas, ainda busca empregos para esses talentos nos seus parceiros apoiadores, incluindo a própria TOTVS. Nosso contato com esses jovens comprova a eficiência do projeto pelo nítido engajamento e motivação que apresentam quando chegam aqui nos nossos escritórios.

Está cada vez mais claro que o papel do executivo no mundo corporativo não é mais gerir as empresas onde atuam e sim dividir e compartilhar com o Estado o dever de apoiar iniciativas que aumentem a inclusão social. Essa atitude ajuda a manter a nossa própria existência e, também proporciona o desenvolvimento da região onde atuamos, trazendo benefícios para a sociedade.

A forma de fazer isso é fazer ecoar no seu networking ações que possam ser seguidas e multiplicadas por um grupo que precisa basicamente das mesmas coisas: ter e oferecer boas condições de trabalho para garantir qualidade de vida e consequentemente ganhos de produtividade em suas equipes.

Usar sua influência no mercado para promover ações como as do IOS em diversas situações – desde uma palestra até reuniões e encontros com associações de classe – tem ajudado, e muito, a criar uma agenda positiva de aproximação entre diversos públicos que não se limitam a esperar pela ordem no cenário político e econômico para exercerem sua obrigação cidadã e gerar cada vez mais oportunidades para o desenvolvimento dos seus negócios a partir do desenvolvimento da nossa sociedade.

Fomentar oportunidades é nossa melhor contribuição cidadã para transformar vidas das pessoas e das regiões onde habitam, promover qualidade de vida, desenvolver novos talentos no nosso mercado e usufruir de forma sustentável desses frutos para manter competitividade e continuidade dos nossos negócios. É um verdadeiro ciclo virtuoso!

marco-cafasso_Prancheta 1Marco Cafasso é economista, com MBA em Administração de Empresas e Negócios pela FGV, e possui mais de 22 anos de experiência profissional no mercado de Tecnologia da Informação em empresas nacionais e multinacionais de médio e grande porte.  Passou por cargos de liderança em grandes empresas de TI e desde 2015 ocupa o cargo da CEO da TOTVS RJ & Novos Negócios.

Este post não contém tags.
Compartilhe: